A crise do gestor moderno e suas causas.

“Folclore: gestores mantém o controle estrito – do seu tempo, das suas atividades e do seu departamento.
Henry Mintzberg, 2009

“Confrontado com objetivos conflitantes, mercados dinâmicos e imprevisíveis, gestores enfrentam organizações e cadeias de suprimentos constantemente vigiadas pela mídia e por um número crescente de grupos de interesse. Paradoxalmente, o aumento da transparência organizacional externa não é acompanhado internamente. A turbulência do mercado exige decisões rápidas, simultâneas, descentralizadas e distantes no espaço, impedindo gestores de observar, entender e influenciar suas próprias organizações. O resultado? Um gestor em crise, apossado de um sentimento de solidão e desamparo, frente a um mundo de crescente complexidade. Com raízes em uma sociedade hierárquica, estabelecida em um contexto tecnológico completamente diferente, a crise se dispersa nas mais diversas organizações, da igreja ao partido político, e é agravada por uma educação gerencial deficitária e um modelo organizacional que ressalta nossas limitações cognitivas. A pergunta que nos resta é: o que podemos fazer? Se é que podemos fazer algo.

Um estudo recente realizado com importantes líderes e gestores nos setores público, privado e não governamental na Alemanha revelou as principais dificuldades enfrentadas por gestores na atualidade. Os líderes foram unânimes em apontar a crescente complexidade como principal problema, marcado pela imprevisibilidade, velocidade dos meios de comunicação, aumento do número de grupos de interesse e transparência organizacional externa. Para reagir às turbulências do meio, a gestão organizacional é obrigada a se tornar dinâmica, flexível e transformável, aumentando a complexidade organizacional e reduzindo a capacidade do gestor de focar em decisões específicas com a necessária profundidade, frequentemente ignorando as consequências de longo prazo. […]

Gostou? Então leia mais na coluna Gestão em Foco N. 9 na revista Mundo Logística deste mês, com foco na quarteirização logística.

One response to “A crise do gestor moderno e suas causas.

Deixe uma resposta